quinta-feira, 29 de novembro de 2012

CRACK/COCAINA E SEUS EFEITOS NO ORGANISMO

O que você precisa saber para ficar fora disto – Parte I 

O crack é uma apresentação da cocaína comercializada ilegalmente na forma de pedras e utilizada pela via pulmonar 

A fumaça do crack inalada é conduzida pela circulação sanguínea diretamente dos pulmões para o cérebro em cerca de 6 a 8 segundos. Os efeitos são efêmeros (3 a 5 minutos) e quase sempre seguidos por um desejo incoercível de repetição do consumo 

As overdoses por cocaína parecem ser mais comuns entre usuários de drogas injetáveis (UDIs) acometidos por problemas cardiovasculares e que fazem uso associado de outras substâncias, seja pela via intravenosa, seja por outras vias de administração. 

O uso de cocaína esta associado a toxicidade aguda ou crônica, e cerca de 5 a 10% dos atendimentos hospitalares de emergência são decorrentes do uso da substância. 

A cocaína pode causar aumento da freqüência cardíaca e da pressão arterial de maneira dose-dependente. Respostas hemodinâmicas incluem aumento da freqüência cardíaca acima de 34% e aumento da pressão arterial sistêmica em ate 15%. 

Existe um risco 24 vezes maior de infarto agudo do miocárdio durante os primeiros 60 minutos após o uso de cocaína em pacientes de baixo risco. Tal ocorrência tem sido relatada em 0,7 a 6% dos pacientes com dor torácica associada à droga. 

Matéria publicada no Informativo CRIC – Outubro/2012 
Élio Nepomuceno de Andrade – Cel.Ref. Farm. Bioquímico

Um comentário:

  1. Muito interessante a matéria e iniciativa em divulgá-la. Coronel Nepomuceno, grande e admirável ex-chefe, um abraço
    Pessoas do bem são eternas! Valeu Mestre. Cb lima

    ResponderExcluir