quinta-feira, 29 de novembro de 2012

MACONHA - Problemas Sexuais

Além de ser a porta de entrada a drogas mais pesadas como a cocaína e o crack, aja visto que 98% de nossos residentes, hoje internados devido ao crack, tiveram como primeira droga ilícita a "maldita"; a maconha, com seu principio ativo THC ainda carrega em seu barato as seguintes consequências: 

Um bilionésimo de grama de THC é capaz de afetar o hipotálamo, que, por sua vez, age sobre a pituitária, que é o que regula as funções endócrinas e os hormônios do sexo e da reprodução. 

No final do século passado a Dra. Joan Bauman e o Dr. Robert Kolodny, do Instituto Master&Johnson, de St. Louis, fizeram uma comunicação a respeito de sua pesquisa com 26 mulheres, de 18 as 30 anos, fumadoras de maconha três vezes por semana ou diariamente desde pelo menos seis meses anteriores à experiência. Nos ciclos menstruais destas puxadoras de fumo, a fase relativa ao corpo lúteo de seus ovários havia encurtado 31%, em comparação aos 9,7% dos ciclos das não fumantes. Tal encurtamento da fase lútea poderia significar que um embrião em crescimento talvez não estivesse recebendo alimentação adequada. A taxa de prolactina entre aquelas mulheres - hormônio importante na produção do leite - também havia decrescido. 

Outra pesquisa realizada pelo Dr. Kolodny com 500 homens, de 18 aos 30 anos, fumadores de maconha, há seis ou sete anos, mostrou baixos índices, estatisticamente importantes, de atividade sexual, além de poucos orgasmos. O diretor do departamento de medicina do Kingston Hospital da Jamaica, Dr. John Hall, revelou que 20% de seus pacientes masculinos que haviam puxado fumo durante cinco ou mais anos se queixavam de impotência. 

Durante minhas últimas pesquisas com nossos residentes, hoje usuários de crack, mas antes de cocaína e inicialmente de maconha. Por sentirem que sua força sexual "não era mais a mesma" depois de alguns anos de abuso da maconha passavam direto para a cocaína, pois esta sendo estimulante, anulava os efeitos do THC, isso em sua própria experiência, mas a cocaína aspirada não bastou foi preciso uma droga mais "loucamente forte" e hoje procuram se recuperar na sua adicção do crack. 

E você ai, que não acredita, vá .. continue no seu baseado, pois vai chegar o dia e a hora que ele não te satisfará mais e a cocaína e o maldito crack te esperam loucos para te levarem a bancarrota ou a um derrota de vida, onde para voltar será necessário renascer de novo com novas dores de parto, só que agora as dores não serão só da mãe, serão tuas também. 

24 horas para nós todos. 

Matéria publicada no Informativo CRIC – Janeiro/2012 
Élio Nepomuceno de Andrade – Cel.Ref. Farm. Bioquímico

Nenhum comentário:

Postar um comentário