segunda-feira, 10 de novembro de 2014

CRIC EM AÇÃO!

Por Regina Lopes
Jornalista 

Centro de O Recuperação Imaculada Conceição-CRIC- tem por finalidade recuperar e ressocializar dependentes químicos, apoiar as suas famílias e promover projetos de prevenção ao uso de drogas.


As atividades com os atuais 53 residentes de desenvolvem na Comunidade Terapêutica, Fazenda de Gravataí(RS) e na Casa de Acolhida, em Canoas –RS.

Em duas oportunidades presenciei encontros entre a diretoria da entidade, familiares e residentes. 

A primeira foi a visita dos familiares ao terceiro domingo do mês, em setembro em Gravataí. A segunda foi uma reunião com os familiares dos residentes, na Casa de Acolhida, que acontece todas as terças à noite.

Na Comunidade Terapêutica, após nove meses de tratamento vários residentes tornan-se graduados(em abstinência). Um deles disse: “Eu fiquei com um arquivo guardado para o resto dos meus dias”, referindo-se a sua passagem pela CRIC. É assim que estes jovens entendem o tratamento, uma nova chance em suas vidas.

Até hoje já passaram pela entidade 1164 rapazes, desde 2007 quando iniciou. Já para A.T.(28 anos) ficou o ensinamento: “É sem muita promessa. É botar na prática só por hoje. No nosso dia a gente tem que fazer sempre a vontade de Deus”. Outro depoimento de quem tenta dizer adeus as drogas mais de 1 ano, L. (22) “ Agradeço à Deus, foi só com a força dele que estou me recuperando, porque não está fácil lá na rua’.

Aprender a dominar seus instintos é somente um degrau a subir nessa longa escada e envolve sempre a presença atuante de familiares.

Num clima de muita atenção os pais desses rapazes, mais os graduados(estão a mais de 1 ano em abstinência) ouviram a palavra do presidente da entidade, Pd. Eduardo Delazeri. Ele falou sobre disciplina, objetivos e metas. Sobre amor exigente. O Amor Exigente não se impõe, mas propõe exigência na disciplina, com o objetivo de uma nova qualidade de vida para todos. O Amor Exigente não expulsa os filhos de casa. A proposta não é essa. Depois de se ter tentado tudo para controlar o comportamento inadequado, chegando ao limite máximo dos pais , ou da família, o filho deve fazer sua escolha: ou entra no esquema de cooperação de horário, respeito as regras da casa e consideração com as pessoas, ou vai viver por sua conta da forma que lhe convém. 

Neste momento, uma mãe interveio e deu seu depoimento. Depois de apanhar do filho ela resolveu que não daria mais chances, “Ou ele se trata ou eu não poderei mais encaminhá-lo na vida.”. O padre Eduardo finalizou citando uma frase do Papa Bento XVI – “Onde Deus chega o deserto vira jardim”CRIC .


Nenhum comentário:

Postar um comentário